Voltar Coleo Completa de Cadernos Temticos

Qumica Inorgnica e Medicina

capa-cad6.jpg

Editorial

Conselho Editorial e Editores Convidados

a01.pdf a01.pdf

Introduo

Helosa Beraldo

a02.pdf a02.pdf

Contribuies da Qumica Inorgnica para a Qumica Medicinal

Heloisa Beraldo

Qumica Medicinal, Qumica Inorgnica

Sabemos que a Qumica Orgnica tem feito inmeras contribuies para a Medicina, atravs da descoberta de princpios ativos, do planejamento e da sntese de frmacos. No entanto, a Qumica Inorgnica tem igualmente papel importante, tanto na clnica quanto na pesquisa e no desenvolvimento de novos medicamentos, como veremos neste Caderno Temtico. Mostramos aqui algumas possibilidades de interveno da Qumica Inorgnica na Qumica Medicinal, atravs de exemplos de compostos inorgnicos em uso clnico ou que esto sob investigao, bem como de compostos orgnicos cujo mecanismo de ao envolve a interao com um metal.

a03.pdf a03.pdf

Suplementao de Elementos-Traos

Enrique J. Baran

elementos-traos, suplementao, Farmacologia

Neste artigo so apresentados alguns aspectos gerais relacionados s funes e ao carter essencial de sistemas inorgnicos fundamentais para o desenvolvimento correto e balanceado dos processos fisiolgicos e metablicos nos seres vivos. Sabe-se que deficincias de elementos-traos essenciais do origem a vrias desordens fisiolgicas e doenas. Assim, a suplementao desses elementos transformou-se em um tema de crescente importncia na Farmacologia moderna, e a Qumica Inorgnica Medicinal prope diferentes metodologias e vias para que os processos de suplementao sejam cada vez mais efetivos e potentes. Essas metodologias so ilustradas com exemplos que envolvem a suplementao de ferro, zinco, cobre, cromo, magnsio, selnio e alguns outros elementos minoritrios.

a04.pdf a04.pdf

A Qumica Inorgnica na Terapia do Cncer

Ana Paula Soares Fontes, Eloi Teixeira Csar e Heloisa Beraldo

Qumica Inorgnica Medicinal, antitumorais, complexos de platina

O cancr uma das doenas mais importantes na atualidade, constituindo a segunda maior causa de mortes nos pases industrializados depois das doenas cardiovasculares. A introduo, a partir de 1978, do complexo cis-diaminodicloroplatina(II), de nome comercial "cisplatina", na quimioterapia do cncer, representou um marco na histria da Qumica Inorgnica Medicinal, e constituiu um importante avano no tratamento de diversos tipos de tumores. Desde ento, desenvolveu-se uma intensa busca por novos complexos metlicos que tambm apresentassem atividade antitumoral, o que levou descoberta de outros complexos de platina que atualmente so utilizados em clnica mdica. Neste artigo so discutidos os mecanismos de ao farmacolgica desses compostos, que esto relacionados ligao da platina com as bases nitrogenadas do DNA. Mostraremos que complexos de outros ons metlicos tambm podem apresentar atividade antitumoral, apesar de ainda no serem utilizados na clnica.

a05.pdf a05.pdf

A Qumica Inorgnica no Planejamento de Frmacos Usados no Controle da Hipertenso

Washington Xavier de Paula, Ruben Dario Sinisterra, Robson Augusto Souza dos Santos e Heloisa Beraldo

hipertenso, Qumica Inorgnica, enzima conversora da angiotensina, nitroprussiato

Diversas classes de drogas so usadas para o tratamento da hipertenso, e muitas delas interagem com metais, como os diurticos, os bloqueadores de canais de clcio e os inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA). Esta enzima contm um tomo de zinco em sua estrutura e os anti-hipertensivos inibidores da ECA podem agir atravs da coordenao ao zinco. O nitroprussiato de sdio - um complexo de ferro com ligantes cianeto e nitrosila - usado clinicamente nas emergncias hipertensivas e provoca vasodilatao pela liberao de xido ntrico, NO.

a06.pdf a06.pdf

Novas Embalagens para Medicamentos Base de Antimnio Usados no Tratamento de Leishmaniose e Esquistossomose

Cynthia Demicheli e Frdric Frzard

antimnio, lipossomas, leishmaniose, esquistossomose

Apresentaremos neste artigo as doenas parasitrias que se beneficiam da quimioterapia antimonial, alguns aspectos da farmacologia dos medicamentos base de antimnio, as principais limitaes do trata- mento atual e novas alternativas teraputicas.

a07.pdf a07.pdf

A Utilizao do Elemento Tecncio-99m no Diagnstico de Patologias e Disfunes dos Seres Vivos

Elaine Bortoleti de Arajo

radiofrmacos, tecncio-99m, Medicina Nuclear, complexao

Radiofrmacos so frmacos radioativos utilizados no diagnstico ou tratamento de patologias e disfunes do organismo humano. Vrios radioistopos so utilizados na preparao de radiofrmacos, entre os quais o tecncio-99m (99mTc), que apresenta caractersticas fsicas ideais para aplicao em Medicina Nuclear Diagnstica. Uma vez administrado ao paciente, o radiofrmaco deposita-se no rgo ou tecido alvo e imagens podem ser adquiridas a partir da deteco da radiao proveniente do paciente, utilizando-se equipamentos apropriados. Trata-se de um procedimento no invasivo, que possibilita avaliaes anatmicas, morfolgicas e funcionais. O radionucldeo 99mTc obtido a partir do decaimento radioativo de outro radionucldeo, molibdnio-99m (elemento pai), podendo ser facilmente disponibilizado, no ambiente hospitalar, a partir de geradores de 99Mo-99mTc. O tecncio-99m pode ligar-se a diferentes substratos ou ligantes, por reao de complexao, originando radiofrmacos com afinidade por diferentes rgos, sistemas ou receptores no organismo. O conhecimento da qumica de complexao do elemento tecncio de extrema importncia para o desenvolvimento destes radiofrmacos.

a08.pdf a08.pdf


Voltar Coleo Completa de Cadernos Temticos
 
on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.